27 fevereiro, 2011

Difícil de lembrar, mas impossível de esquecer

(inventado)
« Hoje acordei sem ti, mais um dia. Quando me consigo abstrair é quando me faço acreditar que tu foste e que já não voltas, acredito que já não fazes parte de mim e nestes dias fico bem, mas é quando chegam aqueles dias em que a saudade aperta que noto que me tento enganar, provavelmente já não estás tão em mim, já não penso em ti como pensava, não preciso de ti mas tenho saudades tuas. Não estás tão ultrapassado como eu faço parecer, como eu tento acreditar. Gostava de quando me fazias sentir que este momento não iria chegar, fazias com que tudo parecesse possível e foi durante um tempo de facto, mas já não te sentia comigo, eu já não fazia parte de ti. E sim, ainda tenho medo, é ridículo ter receio de te perder quando já não te tenho e querer recordar todos os momentos bons para não ser tão difícil, para não haver tanta mágoa mas o coração não deixa, ele perdoa mas não esquece e ainda assim mesmo sem te ter continuo a dizer que a nossa história com o passar do tempo vai tornar-se difícil de lembrar, mas impossível de esquecer (...) »

7 comentários:

Verdades .