23 junho, 2012

You.



Tocas-me, eu sinto um arrepio, seguras-me, não muito mas é suficiente para ter a certeza que algo está reservado para nós.É desejo, chega a ser torturante, asfixiante, uma ausência que nunca é suportada.Tu tens qualquer coisa, conseguiste o impossível, conquistaste a minha confiança, não brinques comigo, pode ser perigoso.
O amor consegue ser impiedoso.

Quase ninguém me conhece, sou fria, tenho feito a minha vida sozinha e a culpa é minha, foi o caminho que eu escolhi.
Congelada como neve, eu não esboço reacção.

Eu tentei a minha sorte, e surgiste tu, gosto de te chamar "a minha sorte grande".
É como uma explosão, eu abraço-te sempre que posso.
O meu corpo dói quando tu não estás, contigo eu tenho força.Não há limite na distância que percorreria, sem barreiras, sem medidas só para te ter comigo.
Foi um jogo renhido, quando te quis não me quiseste e quando me quiseste eu não te quis, os tempos mudam e o nosso tempo chegou.
Não é uma competição e eu tenho noção disso, mas às vezes enfrenta-mo-nos com tudo o que temos.Eu não procurei mas eu tropecei em ti, deve ser isto o destino.