04 maio, 2012

O prometido é devido .

Tudo começa com "tu e eu", continua sendo "tu e eu" e acaba em "nós". É uma perda irrisória de sentidos, tanto andamos perdidos como por vezes contidos. É a especulação de um futuro incerto, que para nós é certo e é a noção desta distância que acaba sendo tão perto. É a beleza interior, tanto ou mais que exterior de todo o nosso amor. É um jogo de palavras, que ganha asas e acaba em mais datas. Se te conseguisse explicar que és o meu ar e tudo o que me faz acreditar, poderias perceber que mais ninguém pode receber e certamente não vão entender. Mais uma vez eu te digo, que não olho para o meu umbigo e que só vejo uma vida contigo.


(J)